Notícias 10#

The Mummy encerrou este fim de semana com cerca de 169.3 milhões na Box Office Global

Ao fim de estrear em 63 mercados internacionais, o filme The Mummy da Universal já juntou cerca de 56.8 milhões na box office doméstica desde sexta-feira.
Isso coloca o filme de monstros liderado por Tom Cruise a caminho de uns estimados 139 milhões no mercado estrangeiro, e cerca de 169.3 a nível global. Ambos os números marcam as maiores aberturas na carreira de Tom Cruise.

É um pouco ofensivo as maiores aberturas da sua carreira serem num filme que tem estado a ser tão destruído pelos críticos, mas ao menos já poderá respirar mais descansado ao saber que o primeiro passo da Universal neste seu universo, pelo menos a nível comercial, não será um falhanço autêntico e agora é apenas corrigir as suas falhas.

O poder de celebridade de Cruise combinado com o crescimentos de mercados chaves no estrangeiro, como por exemplo a China, terão sido o motivo de sucesso tão grande.
O seu filme que ocupava o recorde pessoal de abertura antes de The Mummy era War Of The Worlds, realizado por Steven Spielberg em 2005, com 167.4 milhões a nível global.

Assim, The Mummy abriu em número um em 52 dos seus mercados. Com a China a liderar, com uma abertura de 19 milhões nesta sexta-feira, também aí um recorde para um filme liderado por Cruise.
A Coreia espera-se que siga o mesmo percurso com cerca de 17 milhões, e a Rússia será o terceiro lugar de mercado estrangeiro com cerca de 7.2 milhões.

 Vamos ver de que forma é que isto irá influenciar o próximo passo da Universal.

 

Patty Jenkins está pronta para realizar a sequela de Wonder Woman

Wonder Woman continua a ocupar o primeiro lugar na box-office americana e foi recebido de forma extremamente positivo tanto por críticos como por fãs pelo mundo inteiro.
(Crítica disponível aqui no blog!)

O filme quebrou barreiras, e com uma abertura doméstica de 103.3 milhões tornou-se o filme realizado por uma mulher com maior abertura.
Enquanto uma sequela ainda não foi oficialmente confirmada, é garantido que Gal Gadot irá regressar, e a realizadora parece ter o mesmo desejo.

(Se bem que como já comentei numa outra publicação anterior aqui no blog, isso poderá envolver negócios um pouco mais complicados.)

Contudo numa entrevista com Conan O’Brien, Jenkins diz que há está em negociações e que estão todos muito excitados com a possível sequela. Acrescentando também que o filme veio na altura apropriada para a sua vida pessoal e profissional.


 

Os melhores filmes do século XXI até agora, de acordo com o The New York Times

Resultado de imagem para New York Times

Apesar de irmos apenas a um sexto do século XXI, já foram lançados milhares e milhares de filmes, então The New York Times decidiu criar já uma lista provisória dos melhores filmes do século.

A lista foi criada pelos críticos principais do The New York Times, Manohla Dargis e A. O. Scott, com contribuições de realizadores como Kathryn Bigelow, Guillermo Del Toto, Ava DuVernay, Barry Jenkins, Richard Linklater, Robert Pattinson e Michelle Williams.

1. There Will Be Blood (2007), realizado por Paul Thomas Anderson.
2. Spirited Away (2002), realizado por Hayao Miyazaki
4. A Touch Of Sin (2013), realizado por Jia Zhangke
5. The Death Of Mr. Lazerescu (2006), realizado por Cristi Puiu
6. Yi Yi (2000), realizado por Edward Yang
7. Inside Out (2015), realizado por Ronnie Del Carmen e Pete Docter
8. Boyhood (2014), realizado por Richard Linklater
9. Summer Hours (2009), realizado por Olivier Assayas
10. The Hurt Locker (2009), realizado por Kathryn Bigelow
11. Inside Llewyn Davis (2013), realizado por Joel e Ethan Cohen.
12. Timbuktu (2015), realizado por Abderrahmane Sissako
13. In Jackson Heights (2015), realizado por Frederick Wiseman
14. L’Enfant (2006), realizado por Jean-Pierre e Luc Dardenne
15. White Material (2010), realizado por Claire Denis
16. Munich (2005), realizado por Steven Spielberg
17. Three Times (2006), realizado por Hou Hsiao-hsien
18. The Gleaners and I (2000), realizado por Agnès Varda
19. Mad Max: Fury Road (2015), realizado por George Miller
20. Moonlight (2016), realizado por Barry Jenkins
21. Wendy and Lucy (2008), realizado por Kelly Reichardt
22. I’m Not There (2007), realizado por Todd Haynes
23. Silent Light (2008), realizado por Carlos Reygadas
24. Eternal Sunshine of the Spotless Mind (2004), realizado por Michel Gondry
25. The 40-Year-Old Virgin (2005), realizado por Judd Apatow

 

Anúncios

2 thoughts on “Notícias 10#

    1. As listas são sempre muito relativas e subjectivas, e merecem ser recebidas sempre com essa nota.
      Contudo, sim há muitos filmes que eu colocaria lá no lugar de alguns dos que lá estão, sendo esse “Virgem aos 40” um dos exemplos mais óbvios.
      Eles basearam-se na lista de vários realizadores, actores e uma poll pública de facebook, por isso é bem possível que seja mais uma questão de popularidade do que qualidade.
      Julgo que foi a Sofia Copolla que na lista dela tinha o filme Daddy’s Home, por isso vê bem a quantidade de filmes miseráveis que devem ter sido mencionados lá pelo meio.

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s